terça-feira, 28 de outubro de 2008

Veneziano


VENEZIANO: carismático e demagogo.

Veneziano Vital do Rego foi reeleito prefeito de Campina Grande, com uma votação de algo em torno dos 51% dos votos válidos, entre estes, o de varias pessoas da minha família. Como sempre, a euforia superior a uma final de copa do mundo tomou conta da maioria dos cidadãos campinenses, apaixonados. Vené, como é carinhosamente conhecido, é advogado, e de tradicional família política da cidade. É carismático e excelente orador. Sua principal benfeitoria pública foi a integração dos transportes coletivos, inaugurada propositalmente as vésperas das eleições.
Durante o período eleitoral, os dois candidatos, em especial o vencedor, utilizaram de estratégias de convencimento de eleitores das mais sujas. Veneziano fez uma administração regularmente boa (apesar de deixar as principais obras públicas para o ano de sua reeleição), no entanto, esta não superou administrações anteriores, como entre 1996 e 2000, quando a prefeitura desta cidade vivia tempos de fartura financeira com a venda da estatal municipal CELB, tempos estes recheados de benfeitorias públicas em todos os aspectos. O prefeito, entretanto, na sua arrogância e demagogia notórias, afirma que ninguém fez mais que ele, ou melhor, que ele tudo fez, e que as administrações passadas nada fizeram. Não tenho nada contra Vené, o seu carisma é contagiante. Mais o que me emperrou a votar nele é sua demagogia, que é tão grande que eu, em acaloradas discussões com amigos, já o chamei de “sínico e mentiroso”. É claro que me diziam que todos os políticos são assim; o governador do estado, por exemplo, também é arrogante e demagogo. Mais o prefeito-candidato extrapolava os limites da sensatez, era um “cara de pau”. Votar em Veneziano, sabendo que ele mentia até em acusar seu adversário, seria um insulto ao meu censo crítico, ao meu intelecto, e a minha consciência. Do outro lado também não havia flores: o candidato em que votei aparentava não ter personalidade, tinha uma rejeitada candidata a vice, e, assim como o concorrente, não apresentou nenhuma proposta concreta para a educação.
Por fim, a festa da vitória foi embalada por paródias musicais que agrediam e humilhavam o candidato perdedor, o cheque mate da degringolada eleição campinense. No discurso da vitória, o prefeito reeleito anunciou grandes obras para o segundo mandato, que me deram esperança de um bom governo. Espero que assim seja. A única coisa que lamento é a corrupção e a falta de ética, sinceridade e honestidade da classe política como um todo, que insiste em continuar...

5 comentários:

Dear_Quel disse...

gostei do Blog! hehehe
mas nem curto propaganda eleitoral... rsrs

abraços

Blog do Jornalista Josué Cardoso - Campina Grande(PB) disse...

respeito seu comentário, mas Veneziano em nenhum momento disse que fez tudo. Disse que muito há de ser feito e com a ajuda de todos, inclusive dos que votaram em Rômulo. Veneziano não deixou obras para entregar no ano eleitoral. Apenas entregou o sistema integrado. o Plínio Lemos foi entregue em fevereiro. entregou restaurante popular, cozinhas comuitárias, escolas, creches, reformas em mercados, ruas asfaltadas, unidades de saúde, etc, em anos anteriores. Mas os comentários, inclusive, contraditórios, são importantes, assim como o é seu ponto de vista. Parabéns pelos comentários, corajosos, embora não concorde que Veneziano seja demagogo como você afirma. De toda sorte, a vida existe pra gente refletir mesmo e contestar o que não aceitamos. Valeu amio.

Alysson disse...

Como disse Josué Cardoso, respeito seu comentário e parabenizo-o pelo texto, porém, como também citou o jornalista, discordo de alguns pontos do seu discurso. Principalmente no que diz que Veneziano só entregou obras no ano eleitoral, dizer isso é esquecer de tudo o que ele fez em anos anteriores, como as ruas asfaltadas e recapeadas, diversas creches, escolas e unidades básicas de saúde.
Quanto a falta de ética da maioria dos políticos, também sonho com o dia em que teremos políticos honestos em nosso país.

Márcio Daniel Ramos disse...

ontem o deputado Guilherme Almeida, do PSB, aliadíssimo de Vené, disse que não existia cheque da saude na assembleia.
vene jogou sujo ao inventar isso contra o Rômulo...

Rauny disse...

kkkkk marcio daniel ramos
eo cara so vc pra poetar esses
textos pode crer
dei valor