domingo, 3 de agosto de 2008

A Corrupção e as Novelas

“O noticiário de corrupção parece ter a mesma importância que as novelas para o país” frase do Jornal Americano The New York Times sobre o Brasil. Eu estava esperando a hora de alguém dizer isto. Já é de praxe a imprensa do nosso pais denunciar, julgar e condenar sozinha várias pessoas, com “carinho” especial à classe política.
O povo acha bom, vê a imprensa como o órgão que denuncia as “safadezas” de nossos representantes. Triste ilusão. Imprensa esta que constantemente vende partes de seus meios de comunicação a partidos, isto quando não é totalmente controlada por política. Exemplo disto é a Tv Bahia, afiliada da Globo, que pertence aos Magalhães, e a Tv Correio, retransmissora da Record na Paraíba, cujo o dono é suplente do senador José Maranhão, do PMDB. Esses são apenas dois exemplos. A classe política é talvez a principal proprietária de órgãos de comunicação, portanto, se você suspeitar parcialidade no Jornal de sua cidade, pesquise quem é o proprietário. E o que dizer da denuncia do Rodrigo Viana, atualmente na Record, de que a Globo nacional fez campanha pra Geraldo Alkmin em 2006?
Fora tudo isto, tais denúncias que nem sempre procedem só incutem cada vês mais no povo o conceito de que todo político é ladrão, o que não é verdade. Caso triste foi o de Ney Suassuna. O senador paraibano, que em 2006 já era tido como cacique nacional do PMDB, foi acusado no caso chamado “sanguessugas”. As peculiaridades da denuncia eu não me lembro, mais o básico é que envolvia um quantia de R$ 200.000,00 que seria dividida para umas dez pessoas ou mais. Cada um ia ficaria com uns 20 mil. Hora, quem é Ney Suassuna? É um empresário que antes mesmo de entrar na política já era um multimilionário de atuação no Rio de Janeiro. Baseando-se nisso, vem o questionamento: pra que um homem rico como Ney Suassuna iria se sujar por 20 mil reais? No final das contas, nada foi provado contra o senador, mais ai já era tarde, ele já havia perdido as eleições por causa da repercussão das denuncias. E o pior de tudo. O senador eleito é acusado de desviar 40 milhões da prefeitura de João Pessoa, duas mil vezes o valor presunçosamente desviado por Suassuna. O senador Efraim Morais atualmente também é tendenciosamente perseguido. As especulações são de que o Partido dos Trabalhadores comprou algumas páginas da revista IstoÉ (já conhecida por vender suas páginas) para desmoralizar o democrata. A reportagem saiu, e chamou o senador paraibano de cardeal do baixo clero. Motivo? Efraim, que é 1º secretário, estava sendo cogitado para a presidência do congresso nacional, nas eleições do ano que vem. O PT não poderia permitir que um senador de extrema oposição fosse o nº 1 do poder legislativo. Então, daqui pro próximo ano, tudo que acontecer de ruim do senado vai ser culpa de Efraim Morais.
Se a imprensa nacional é tendenciosa e sensacionalista, aqui na Paraíba é uma esculhambação. O principal meio de comunicação do estado, o Correio, já citado acima, é dedicado apenas a colocar os podres e os cheirosos do governo no ventilador. o motivo é que na Paraíba, as duas forças políticas arquirrivais são PSDB e PMDB. O esquema tucano detém o governo estadual, enquanto outro governa as principais prefeituras. O Correio é abertamente ligado ao PMDB, portanto, desmoraliza de todas as formas Cássio Cunha Lima e seu grupo político. Os exemplos são inúmeros, não vou citá-los pra não estender muito o assunto.
Concluindo, é preciso que a sociedade tenha consciência de que nem todos os políticos são corruptos, e o noticiário de corrupção é, na maioria das vezes, comprado pelos próprios políticos, portanto é tendencioso e sensacionalista. O The New York Times já notou isto. Faltam os brasileiros.

3 comentários:

Paulo Roberto disse...

Obrigado pelo comentario, volto aqui depois para comentar o post

Abraço!

roas77 disse...

É TRISTE..

se analisar . gostaria de saber onde não há corrupição nesse nosso Brasil!!

abç..

Erich disse...

A mídia explora a audiencia ... se faz o IBOPE subir ta valendo.
Em SP tem um programa na Record logo pela manhã que é especialista em tragédia ... mostram a exaustão bandidos com arma em mão ameaçando cidadãos comuns dentro de bancos, o caso Isabela Nardoni então, Só por Deus.