sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Sobre o Ateismo

NIETZSCHE: um louco infeliz. ele dizia que Deus está morto. Ele morreu.

O ateísmo é uma característica comum de alguns universitários e pessoas da comunidade acadêmica e científica que influenciados pelo racionalismo exacerbado do conhecimento científico, terminam por tentar excluir de suas vidas o irracional. Essas pessoas também excluem o metafísico em contraposição ao físico, o sobrenatural em contraposição ao natural.
O relativismo dominante provoca o agnosticismo. Contudo, este mesmo relativismo, junto com o materialismo e o racionalismo, faz com que algumas pessoas se decepcionem com suas crenças religiosas, acreditando que, em não havendo explicação natural para o sobrenatural, este ultimo não existe. Essas pessoas então, mergulham na negação total e irrestrita da fé, a perspectiva ateia.
Ressalta-se, no entanto, que o ateísmo não se constitui numa perspectiva científica das crenças religiosas. O ateu também precisa ter fé para acreditar que Deus não existe, já que inexistem provas científicas da não existência do Ser Superior, muito pelo contrário existem até teses sobre Deus na ciência, se não como o Deus bíblico, mais como algo que controla o universo. Na postagem em que falei sobre a descrença dos europeus, inclusive, alguém falou sobre a “Partícula de Deus”. Demais, o que é a metafísica senão o estudo do sobrenatural? No que se refere a Deus, a ciência só nos oferece o agnosticismo.
Muitos ateus não carregam este pensamento por toda a vida, o deixam depois de refletiram mais humanamente. Foi o Casso de Francis Collins, o maior geneticista da atualidade, ex-ateu que depois de coordenar o famoso “Projeto Genoma Humano”, concluiu que o corpo humano é complexo demais para surgir do nada. Acabou se tornando cristão praticante. Mais ele não descobriu muita coisa, já que anos atrás o bioquímico Michael Behe, que nem era cristão, afirmava em seu livro “A Caixa Preta de Darwin” que existem órgãos humanos, como o olho, que são tão complexos que não poderiam ter evoluído, mais surgirem (ou serem criados) de uma vês.

FELICIDADE: os ateus mais notórios não a tinham
.
Ainda falando sobre Francis Collins, para ele não é atribuição da ciência questionar o sobrenatural, visto que o seu campo de atuação se restringe aos fenômenos naturais, ou seja, não é função da ciência negar sistematicamente a Deus.
Também não há provas da existência de Deus. E não devem existir. Se existissem, a religião perderia a razão de ser, afinal, está se baseia na fé em detrimento da certeza, isto é, devemos acreditar no que não vemos, ter fé.
Demais, os teóricos do ateísmo são exemplos caricatos deste pensamento. Marx foi um idealista utópico, Freud não conseguiu curar nenhum de seus pacientes pelos seus métodos, Schopenhauer pregava o suicídio e Nietzsche ficou louco. Eles não eram felises. Portanto, viva feliz, seja Cristão!

7 comentários:

Márcio Ribeiro disse...

Muito boa a sua abordagem sobre o tema. O ateísmo, ao meu ver, é um reflexo de um exacerbado sentimento egoísta e egocêntrico, onde nega a existência de algo superior, algo que não pode ver.

Como você frisou, muitos ateístas desistem de suas filosofias no decorrer de sua vida. Ao meu ver, isto já é prova de algo superior.

Excelente post!

Te convido a conhecer meu blog
http://comideiaseideais.blogspot.com

Camila Passatuto disse...

Falar que os ateus não eram felizes ai forçou rsrsrsrs.

Acredito em Deus e leio Nietzsche, é incrivel a sua articulaçõ de pensamentos, Marx é fenomenal...

E o que falar de Schopenhauer? Se eu me convencesse que Deus não existe, certamente eu me mataria...existe sentido viver sabendo que é tudo em vão?

Seja Feliz, Seja Espirita!!

rsrsrsrsrs

Polyana Amorim disse...

pois eu digo: seja feliz com aquilo que você acredita!

"O Autor", disse...

Contrário ao comentário do Márcio, não vejo o ateísmo como uma forma de egoísmo. Penso que nada mais é que uma simples crença, como todas as outras crenças. Não acreditar em Deus também é acreditar em algo.

Creio em Deus, mas sou Ateu.

Márcio Daniel Ramos disse...

"Creio em Deus, mas sou Ateu."

não entendi...

Vicente disse...

muito infeliz sua frase: "essas pessoas também excluem o metafísico em detrimento do físico, o sobrenatural em detrimento do natural".

em detrimento?
em prejuÍzo do físico e do natural?
era essa a idéia que vc queria articular? alguma coisa me diz que não.

(...)

vc deveria escolher melhor as palavras, assim as pessoas leriam e entenderiam seu texto.

eu parei no primeiro parágrafo.

Márcio Daniel Ramos disse...

ao Vicente, obrigado pela construtiva crítica, vou reparar o erro o mais rápido possível, para que facilite a interpretação de leitores atentos como voçê.