sexta-feira, 15 de maio de 2009

Paradoxos entre a Lei e a Ética

.
ESCÂNDALO DAS PASSAGENS: de Inocêncio Oliveira a Fernando Gabeira
.
Talvez “nunca antes na história deste país”, como diria Lula, houve tanta equiparação entre o que é ético e o que é Legal. Esses dois termos, enquadrados na democracia brasileira, são muitas vezes antagônicos:

Caso 1: “Escândalo das Passagens” – era perfeitamente legal a concessão de passagens aéreas a familiares e amigos de parlamentares. Por esta razão o “escândalo” se estendeu a figuras que até então eram tidas como idôneas, a exemplo de Fernando Gabeira. Cada parlamentar tinha uma cota de passagens instituída por lei, e podia fazer o que quisesse com tais bilhetes aéreos. Sempre foi assim, eu conhecia isto a anos. A questão é que do dia pra noite a imprensa resolveu jogar esta que é apenas uma das muitas mordomias legislativas, no ventilador.
O uso das passagens aéreas é legal, mais não é ético. Não é ético porque é uma mordomia desnecessária e supérflua, em se considerando o generosíssimo salário que os congressistas recebem. Os nossos políticos estão entre os mais caros do mundo.

.

JOAQUIM BARBOSA: populista futil e inconcequente
.
Caso 2: Escândalo “Joaquim Barbosa” – O pseudo-ministro e suas acusações levianas, mentirosas e absurdas ao ministro presidente do STF, Gilmar Mendes. A atitude dele não foi nem legal, já que se configura em uma agressão verbal gravíssima, nem muitos menos ética, afinal de contas trata-se de um membro do mais auto órgão judiciário do Brasil. Não é a primeira vês que tomo conhecimento da deseducação de Barbosa. Ele quase sempre costumas chamar de “absurdas” todas as posições de seu colegas ministros que não são as mesmas dele. Joaquim Barbosa é realmente um populista ridículo.

.
RONALDO CUNHA LIMA: tentou resolver "na bala" uma richa política
.
Caso 3: Escândalo “Ronaldo Cunha Lima” – Esse já é antigo, mais vale a pena lembrar. Não foram nem éticos nem muito menos legais os tiros que Ronaldo Cunha Lima disparou contra seu adversário político Tarcisio Burity. Foi perfeitamente legal a renuncia do poeta que, ao entendimento comum, foi para se livrar do julgamento de tentativa de assassinato que iria acontecer no STF. Só que seu ato não foi ético, visto que, também ao entendimento comum, foi de covardia.




.
TSE: a casa judicial onde se elege segundos colocados
.
.
Caso 4: “Escândalo das Cassações” – Por fim, as cassações de governadores no TSE. É perfeitamente legal a punição com perda de mandato a políticos que infligem o código eleitoral. O que não é nada ético é eleger no Tribunal os segundos colocados, que não tiveram a maioria dos votos. É um agressão frontal às bases da democracia representativa.
Também é pelo menos curioso o fato da justiça eleitoral eleger “bodes expiatórias” para punir atos generalizados de corrupção – as eleições no Brasil são disputadas na base do “vale-tudo” por cerca de 98% pos políticos brasileiros.

Em suma, nem sempre a Lei é ética...
________
* Mais críticas ao escândalo das cassações nos links abaixo:
- Mirian Leitão
- Lucia Hippolito

____
- Escândalo Joaquim Barbosa na Veja

8 comentários:

Guiovan Coimbra de Oliveira disse...

pois é meu caro tempos dificéis...
muito dificéis para nós somente, pois para eles... tá tudo muito bem... quanto mais se descobre mais fazem cpis quanto mais proucupação com cpis mais tempo, para aprontarem mais...

Forte abraço!!!

Leuzinhu® disse...

Ótima materia! Vale a pena também comentar sobre o escândalo da possivel CPI da Petrobras. Passou na TV antes de ontem se eu não me engano. Um grande abraço, parabens pelo blog!

Fabricio bezerra da guia disse...

são tantos escandalos que a gente se perde.qual o dessa semana?o do cara que falou que não liga pra opnião publica,que defendeu o cara do castelo?ou surgiu outro?

Janaina Moraes disse...

Não existe mais ética.
Esses feladaputa que conseguem arrancar nossos votos, quando chegam ao poder esquecem quem os colocou lá e só pensam no umbigo deles.
Detesto políticos.

Conheça meus blogs.
http://aindamaisestorias.blogspot.com/


http://blogcafeexpresso.blogspot.com


http://estoriasmediocres1.blogspot.com

Márcio Daniel Ramos disse...

por favor, evitem palavras de baixo escalão!

Augusto disse...

Parabéns pela matéria.

E é sempre bom relembrar o povo os escândalos e seus envolvidos. Brasileiro esquece muito fácil...

Convidar vc tbm a participar da promoção que vai sortear domínios .com .net no blog www.infoxcomp.com

Participe!

Guttwein disse...

Bom, deixe-me falar algo sobre esses dois:

Caso 1: “Escândalo das Passagens”

As passagens de facto,são um direito dos parlamentares, porém, ficou nítido o uso indevido/indiscriminado que alguns estavam fazendo. Tinha parlamentar vendendo sua cota para empresas de viagens(ramo do turismo)! ¬¬.

Caso 2: Escândalo “Joaquim Barbosa”

Podem me taxar de segregador, de racista, mas... ainda sou da opinião que Joaquim Barbosa não apagou de sua psique as mazelas que os negros sofreram no passado escravocrata brasileiro.Agora que tem "poder", fala e bate boca com quem bem entende achando que está "por cima da carne seca".Deveria ser exemplo para seus pares,por ocupar o cargo que tem, e por ser um dos poucos negros a ter chego no respectivo cargo.

Muito bom o post cara!. Brasileiro tem a memória curtíssima!

.
http://bloggalemdoqueseve.blogspot.com/
.

Aura Sacra Fames disse...

Sobre meu último post a resposta está em meu blogue, sobre o seu texto discordo veementemente de duas de suas colocações, primeiro a respeito de Joaquim Barbosa e em seguida no que se refere as cassações.