sexta-feira, 8 de maio de 2009

A Vida é Bela

Hoje se inicia aqui no ORDEM, PORGRESSO E CRÍTICA a seção Arte e Cultura, nela se encontraram indicações de filmes e programas de TV, agenda cultural, crítica da arte e da cultura, e coisas do tipo.
Hoje vou indicar um dos meus filmes favoritos:



A Vida é Bela

Quem lembra do Oscar’99, da indicação do filme brasileiro "Central do Brasil" ao Oscar de Melhor filme, e de Fernanda Montenegro ao Oscar de melhor atriz. Pois é, "Central do Brasil" não ganhou, perdeu para “A Vida é Bela”, de Roberto Benigni (La Vita è Bella, Itália, 1997), um dos filmes que marcaram minha vida.
O filme conta de forma tragicômica o terror do holocausto. O personagem principal, Guido (interpretado pelo próprio roberto) é um judeu casado com uma alemã, Dora (Nicoletta Braschi, que também é mulher de Benigni na vida real). Ele é levado junto com seu filho, Giosué (Giorgio Cantarini) a um campo de concentração nazista, e consegue de maneira emocionante esconder do filho de todo o horror da Segunda Guerra Mundial, e da Alemanha nazista que matou milhões de judeus.
É muito emocionante, mexe com o coração. É um filme que ajuda e viver melhor, e valorizar a beleza da vida, que muitas vezes não notamos.

8 comentários:

Adm. Marcelo Leite disse...

Belo post.
Gostei.

Luccannus - Jesum Christum est semper! disse...

Assisti esse filme certa vez. Odiei. Muito mal feito e tendencioso, a bem da verdade.
.
Só um adendo: corrija, se for possível, o "anti-semita" de sua postagem, visto que "semita" é toda pessoa ou povo de raça, língua e cultura semita. Sendo assim, não só os judeus, mas os árabes, os antigos persas e babilônios, fenícios e assírios, e também os arameus são semitas.
.
Ora, a Alemanha não podia ser "anti-semita", uma vez que em suas Forças Armadas haviam árabes e indianos, por exemplo. Sem contar brasileiros, japoneses, chineses, vietnamitas, coreanos, italianos, russos, polacos, etc. Fora que na África acabou-se criando a Divisão SS Afrika Korps, composta por negros africanos que se alistaram voluntariamente pra lutar em favor da Alemanha na África.
.
.
Ademais, seu blog está excelente.
.
Obrigado pelo comentário em meu blog.
.
.
Grande abraço. Fique com Deus.

Márcio Daniel Ramos disse...

Luccannus,

Obrigado pela visita, e pelos elogios e críticas.

Não sou crítico de cinema, e quando vi este filme pela primeira vez, era criança ainda e ele me marcou muito. Nas três primeiras vezes que assisti eu chorei no fim.

No entanto, tecnicamente ele recebeu muitas críticas, muitas delas de brasileiros, muitos destes com um pouco de rancor velado, por ele ter derrotado "Central do Brasil".

quanto o erro do “anti-semita”, vou corrigir assim que possível (agora não dá porque meu navegador está com algum problema).

Leitores atentos e críticos como você são os meus preferidos.

Ana Célia disse...

nossa, esse filme é liiindo!
ótima dica!

Blog disse...

E dicifil esquecer o rosto desse garotinho do filme. Marcante mesmo!

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

depois assista O PEQUENO TRAIDOR... um filme alemão... fantástico.

acho que vai até entrar pra sua lista

Patrícia disse...

Eu adorei esse filme! E achei justo sua vitoria sobre o Central do Brasil!
PArabens pelo blog, bjs!
http://patriciagaudencio.blogspot.com/

Anônimo disse...

Luccannus,

Apesar de sua bastante arrogante postulação, e a despeito das suas justificativas histórico-sociais, vai aqui a definição oficial da Língua Portuguesa (quer você goste ou não) da expressão "anti-semita" de acordo com o que meu ilustre e sábio pai chamava de "o pai dos burros", o dicionário Aurélio:

1. Inimigo ou inimiga da raça semítica, e particularmente dos judeus.

Assim sendo, o autor do blog escreveu corretamente.

Com relação ao filme, sua opinião não vale mais ou menos do que a de ninguém, entretanto devo dizer que como artista de música, cinema e televisão, defendo o filme em questão e o coloco como um dos melhores filmes já produzidos.

Ao assistí-lo especialmente no idioma original, vê-se que é uma obra de arte, feita para tocar os corações e não fazer um desfile técnico.

Tendencioso?? Talvez você necessite rever os livros de história . . . mas também não se esqueça de que este filme é arte, e como tal, faz uso da "licença artística" ou direito de criar.

Sugestão: Talvez na próxima vez, você possa se colocar de forma mais simpática, pois não fica bem se colocar de forma tão presunçosa, quando na verdade sua maior crítica (a da expressão anti-semita) é infundada.

Vivendo e aprendendo!