sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Para Sociólogos e estudantes de Humanas

As portas de entrar no curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande, sinto que poucas pessoas conhecem o curso universitário que vou fazer. As pessoas ficam me perguntando se vou ser assistente social. Enoja-me esta ignorância. Mais o que constato com isto é que população não conhece o trabalho de um Sociólogo, de um antropólogo ou de um cientista político. A sociologia como ciência recente em comparação com outras, continua sendo desconhecida da grande massa. A ciência Social está enclausurada às Universidades, não se aproxima do povo, ao contrario da matemática, ciência abstrata que é demasiadamente ensinada no ensino básico. Digo demasiada porque o currículo desta disciplina no Brasil é um dos mais profundos do mundo, o que não utilizamos no cotidiano. A sociologia, porem, tem em seu estudo exatamente os fenômenos do cotidiano social, portanto, tem mais utilidade que álgebra.
A sociologia tem seu papel na transformação da sociedade. Mais porque? De que forma a sociologia pode se libertar do meio acadêmico e contribuir de forma mais presente no cotidiano das pessoas? O cientista social, na maioria das vezes se coloca em situação contemplativa do mundo atual, apenas estudando as transformações já ocorridas e sem se preocupar com as novas. O sociólogo precisa deixar de lado a velha regra de burguesia e proletariado, e anunciar a nova organização social, prever as novas transformações, procurar soluções para resolver os problemas da sociedade capitalista, ao invés de sonhar com as utopias de Marx e Engels. A sociologia, após a ditadura tem iniciado o seu processo de libertação. Já elegemos um Presidente-sociólogo (Fernando Henrique Cardoso), que tal se agora os cientistas políticos se tornassem políticos? Imagine só políticos formados em ciência Política, ao invés de advogados e proprietários de fazendas (que preferem ser chamados de empresários), como são a maioria de nossos líderes...
Concluindo, espero como sociólogo, ou seja como for, contribuir para o progresso do Brasil.

* segunda feira, dia 8, começam minhas aulas de Ciências Sociais.

2 comentários:

Jerbbson disse...

Tenho um amigo que planeja cursar justamente Ciências Sociais na UFCG.
Conheço alguns sociólogos formados dessa universidade e percebo a tendência marxista que eles apresentam. É uma pena não poder contar com construtores, mas sim, analisadores da sociedade.

FHC pediu para que esquecessem, durante a presidência, que ele foi sociólogo um dia. Espero que um cientista político não diga algo parecido...

Boa sorte amanhã!

Abraço.

antiopio.blogspot.com

Aura sacra fames disse...

Um dos problemas do Brasil é que a educação não é vista como forma de libertação do oprimido, mas um requisito para receber ao final do mês 1 salário minímo, ou em outras palavras alguns trocados para que a taxa de mortalidade por fome no Brasil não aumente.

Quanto aos que se julgam "empresários", só estaremos livres destes assim que houver uma conscientização que objetive o esclarecimento, que cumpre o anseio nietzschiano "ouse conquistar a si mesmo".

Abraço
aurasacrafames.blogspot.com